BitCoin

terça-feira, 18 de julho de 2017

Janela inteligente gera sua própria energia

Janela inteligente gera sua própria energia

Janela inteligente gera sua própria energia
Uma célula solar transparente capta a luz ultravioleta para gerar a energia que faz a janela funcionar. [Imagem: David Kelly Crow]
Janela de colar
Um novo tipo de janela inteligente promete ser barata e fácil de instalar, com potencial para economizar tanto no aquecimento como no resfriamento das casas e edifícios.
O material gera sua própria energia graças a uma célula solar transparente que consegue captar também a luz ultravioleta. Com isto, o sistema - na verdade um painel muito fino e flexível - pode ser sobreposto às janelas existentes, evitando os custos com obras e passagem da fiação elétrica necessária para alimentar as janelas inteligentes atuais.
O painel transparente ajusta sua própria tonalidade, tornando-se mais ou menos opaco conforme a iluminação e a temperatura externas, economizando até 40% nos custos de energia de aquecimento ou ar-condicionado.
Célula solar ultravioleta
"A luz solar é uma mistura de radiação eletromagnética composta de raios de ultravioleta próxima, luz visível e energia infravermelha, ou calor. Queríamos que a janela inteligente controlasse dinamicamente a quantidade de luz natural e calor que pode entrar, economizando energia e tornando o espaço mais confortável," disse o professor Yueh-Lin Loo, da Universidade de Princeton, nos EUA.
Como a luz UV-próxima é invisível para o olho humano, os pesquisadores queriam aproveitá-la para gerar a energia elétrica necessária para ativar a tecnologia de mudança de cor do painel que compõe a janela.
A janela inteligente controla a transmissão da luz visível e do calor infravermelho para o interior, enquanto o novo tipo de célula solar usa a luz UV para alimentar o sistema.
Janela inteligente gera sua própria energia
A transparência da janela é reduzida em até 80% (direita) usando apenas a eletricidade gerada pelas células solares transparentes em sua superfície. [Imagem: Princeton University]
Eletrocrômico
A nova célula solar foi construída com semicondutores orgânicos - derivados do hexabenzocoroneno (cHBC) - porque sua estrutura química pode ser modificada para absorver uma faixa estreita de comprimentos de onda - neste caso, a luz UV-próxima.
As moléculas semicondutoras são depositadas como filmes finos sobre um substrato de vidro usando os mesmos métodos de produção utilizados pelos fabricantes dos LEDs orgânicos.

A janela inteligente propriamente dita, por sua vez, é feita com polímeros eletrocrômicos, que mudam de tonalidade controlados por uma corrente elétrica - e a eletricidade gerada pelas novas células solares é suficiente para isso. Quando a luz UV gera uma carga elétrica na célula solar, a carga desencadeia uma reação no polímero eletrocrômico, fazendo com que ele mude de azul claro para azul escuro. Quando escurecida, a janela pode bloquear mais de 80% da luz visível.
Fonte

Texto só com a letra "P" - incrível!!

Antes de irmos ao incrível e super criativo texto, vamos conhecer o artista desta postagem-----> "P"

História:
"pe"  fenicio foi provavelmente uma das únicas letras do alfabeto fenício cujo nome, que significa "boca", não tinha relação alguma com o símbolo. Por esse motivo foi a que mais se modificou com o passar do tempo. Entre os gregos a letra que mais se assemelhava ao nosso p era o  e representava o som de r, e o p era representado pelo pi, tão conhecido na Matemática. Os romanos herdaram dos etruscos um desenho mais antigo da letra "pi", e deram-lhe a forma que usamos hoje.


"PORTUGUÊS" É O ÚNICO IDIOMA EM QUE SE PODE ESCREVER UM TEXTO SÓ COM A LETRA"P". PODEMOS PARTIR?

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir. Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas.
.
Pálido, porém perseverante, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris. Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, pediu permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se. Profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo… "Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses".
.
Passando pela principal praça parisiense, partindo para Portugal, pediu para pintar pequenos pássaros pretos. Pintou, prostrou perante políticos, populares, pobres, pedintes. - "Paris! Paris!" Proferiu Pedro Paulo. -"Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir".
Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, Papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: -Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? -Papai, proferiu Pedro Paulo, pinto porque permitiste, porém preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal. Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando. Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro.

Podem Partilhar!
Autor desconhecido





sexta-feira, 23 de junho de 2017

Como um telhado extra pode mudar a eficiência energética de uma casa

Como um telhado extra pode mudar a eficiência energética de uma casa: Usar fontes renováveis de energia e aproveitar as variações naturais do clima parece ser uma resposta adequada, mas falar é mais fácil do que fazer.

Conheça os projetos com que a China quer sacudir a ordem econômica mundial

Conheça os projetos com que a China quer sacudir a ordem econômica mundial: A antiga Rota da Seda uniu comercial e culturalmente o Oriente ao Ocidente há dois mil anos. A China quer revivê-la com projetos como este do trem de alta velocidade na cidade chinesa de Anshun, na província de Guizhou

sábado, 20 de maio de 2017

Tesla Model 3 no Brasil - E você, está preparado para essas mudanças?

A ABVE

A Associação Brasileira do Veículo Elétrico é uma associação civil de direito privado sem fins econômicos, que prioriza a atuação junto às autoridades e entidades empresariais relacionadas ao setor automotivo, visando a tomada de decisões que incentivem o desenvolvimento e utilização de Veículos Elétricos. (link no final deste post).

Notícia atual: Tesla Model 3

Resultado de imagem para Tesla model 3


Resultado de imagem para Tesla model 3



Resultado de imagem para Tesla model 3

O Tesla Model 3 está chegando e deve trazer consigo um novo pacote de tecnologia embarcada que mudará o panorama dos serviços que envolvem o setor automotivo. 

Feito para ser autônomo, o elétrico de Elon Musk será minimalista, já visando também o mercado de carros compartilhados, que deve retirar do mercado milhares de consumidores tradicionais e conquistar muitos mais. 

Estes migrarão para serviços que permitam o uso do automóvel apenas quando necessário, pagando por km rodado. Ford e GM, além da própria Tesla, já vislumbram esse mercado, que deve gerar bilhões de dólares anuais em assinaturas. A chinesa Lynk & Co, por exemplo, também acredita nesse novo meio em detrimento do mercado comum. 

O comércio de automóveis, puro e simples, também deve ser impacto com operações online. Tesla e Lynk & Co não possuem concessionárias tradicionais e apenas lojas com show room deverão ser abertas para exibição de produtos e serviços, enquanto a compra será feita de forma virtual, com entrega do veículo na casa do cliente. tesla-concessionaria Carro autônomo mudará panorama do setor de serviços Um pós-venda diferente Além da inexistência de concessionários e oficinas autorizadas já estabelecidos, esse novo setor do mercado automotivo também deve mudar completamente os serviços de pós-venda. 

No caso dos veículos autônomos e elétricos, adquirir um novo acessório ou funcionalidade não obrigará o proprietário à ir ao revendedor. Uma atualização rápida através da conexão remota entre carro e fabricante, mudará até a performance do veículo. Por ser elétrico, boa parte dos custos de manutenção tradicionais serão cortados, ficando os demais atrelados ao serviço de retirada-entrega do veículo. 

Pausa para ver um vídeo sobre:




Sem um pós-venda comum, o comércio de peças de reposição também deve sofrer com a relação mais íntima entre fabricante e cliente, já que este último acabaria deixando a reparação nas mãos da montadora, através do mesmo processo de retirada-entrega do veículo e, possivelmente, com um carro compartilhado disponível enquanto for necessário. 

Tudo isso ainda com um comércio de automóveis quase que tradicional, tendo fabricantes de um lado e clientes do outro. No caso do compartilhamento, não haverá mais esses dois grupos, que serão convertidos em provedores de serviço e usuários. Com a condução autônoma, o usuário ou mesmo o proprietário de um automóvel, poderá se beneficiar de um seguro mais em conta. 

De acordo com a Morgan Stanley, o seguro para um Tesla após a função de mudança automática de faixa, caiu 40%. Com estimativa de aumento da segurança em 90%, o seguro para automóveis cairá bastante, reduzindo assim os custos, não só para proprietários, mas também para usuários dos serviços de compartilhamento. Deve-se lembrar que no primeiro caso, o dono de um carro poderá também compartilhar seu veículo, gerando assim uma renda extra. 



A própria condução autônoma possibilitará ao provedor de serviço de transporte, seja empresa ou indivíduo, enviar o veículo ao local do usuário, evitando assim seu deslocamento até um ponto de retirada ou estação do serviço. Outro ponto interessante é que a tecnologia desobrigará o usuário de portar uma licença para dirigir, já que toda a condução estará nas “mãos” do veículo. Isso afetará diretamente os centros de formação de condutores. 

A ampliação de serviços como Uber e Cabify, por exemplo, já desestimularia muitas pessoas a deixar de lado a obtenção de uma CNH. Sem o custo de aquisição de uma licença para dirigir, os usuários gastarão mais tempo e dinheiro com outras coisas. mb-generation-eq-wireless-charge Carro autônomo mudará panorama do setor de serviços Menos carros, trânsito e combustíveis Junto com essa tecnologia, a propulsão elétrica será outra aliada importante na evolução desse novo mercado. 

Com a conexão entre veículo e empresa de serviços, a recarga das baterias se dará de forma automática quando o veículo não estiver em uso, através de pontos de energia via wireless. Mesmo em rodovias, já existem projetos para faixas wireless, que recuperarão a energia das baterias dos carros elétricos durante a condução, reduzindo o tempo de recarga e mantendo os automóveis em uso por mais tempo. Isso deve também reduzir a necessidade de mais vagas de estacionamento e, consequentemente, produzir uma frota de veículos em circulação bem menor. 

Até mesmo o setor de veículos comerciais também se afetado com a introdução de vans e caminhões elétricos ou híbridos, assim como o transporte urbano e rodoviário. Com as tecnologias utilizadas nos carros autônomos, integrados aos outros veículos (V2V) e ao gerenciamento de tráfego (V2I), o trânsito deverá fluir melhor e de forma mais segura. Mas, o maior impacto dessas novas tecnologias recairá sobre a indústria do petróleo. 

Com carros elétricos, a necessidade de combustível será reduzida drasticamente. Ainda assim, isso não deverá significar o fim do combustível fóssil. Para alimentar uma enorme frota de veículos elétricos de forma sustentável, somente através de enormes parques eólicos e solares. Até se chegar ao nível de sustentabilidade, os fornecedores de energia terão de utilizar as matrizes atuais que, em muitos casos, ainda queimam petróleo. 

Nem todos os países possuem matrizes energéticas ecologicamente corretas ou sustentáveis, importando combustíveis fósseis (gás, petróleo) e minerais (tais como o carvão) para produção de energia. Os mais desenvolvidos usam as caras, complexas e perigosas usinas nucleares, enquanto outros usam seus recursos hídricos de forma mais eficiente na forma das hidrelétricas. 

Ainda assim, necessidade de petróleo nas bombas será enormemente reduzida. Com menos combustível nos carros, menor será a necessidade de postos, o que impactará diretamente esse mercado, que movimenta trilhões de dólares anualmente. As petrolíferas tentam se reinventar com investimentos em formas mais sustentáveis de produção de energia, não só pela mudança no panorama do mercado consumidor nos próximos anos, mas também pelo inevitável fim do petróleo, cujas reservas devem durar só mais algumas décadas. 

Hidrogênio, etanol e combustíveis sintéticos aparecem como alternativa. Por fim, o consumidor deverá mudar completamente sua visão em relação ao automóvel. Pelo menos é o que as empresas estão apostando com carros elétricos, autônomos e compartilhados. 

A mudança de propriedade privada para economia compartilhada deve atrair mais os consumidores jovens e uma geração mais conectada, mas o mercado consumidor tradicional ainda terá muitos anos pela frente. Afinal, nem todo mundo deixará de ser proprietário para virar usuário. 

As montadoras que mais apostam em compartilhamento sabem bem disso. Só não sabem até quando isso irá durar nas próximas gerações. 

Os governos em parte já estão buscando leis para favorecer a condução autônoma, mas no caso de serviços, a coisa fica mais complicada por conta de sindicatos e entidades ligadas aos setores que serão impactos, pois milhares ou milhões de empregos estarão em jogo. 

E você, está preparado para essas mudanças?

www.abve.org.br

www.tesla.com